10 dezembro 2019

IBM Food Trust avança como blockchain global para alimentos

Tecnologia reduz desperdício de comida e riscos da produção agrícola por meio de rastreabilidade “imutável”

COMPARTILHE:

Agricom, do Chile, adotou blockchain para dar mais transparência a clientes em todo mundo (foto: assessoria da IBM)

0

O IBM Food Trust, plataforma blockchain da gigante da computação, está avançando como ecossistema global para o setor agrícola e de alimentos também na América Latina.

Rastreabilidade é tendência mundial entre consumidores finais de alimentos (foto: assessoria da IBM)

A multinacional anunciou que duas empresas latino-americanas adotaram o sistema recentemente, a Agricom e S4, que tem atividades no Brasil e em diversos países do continente.

Criado na tecnologia de código aberto Hyperledger Fabric, o IBM Food Trust permite às empresas estabelecer regras sobre quem pode ver os dados carregados e por quanto tempo. as informações permanecem sob o controle da empresa mesmo depois de terem sido carregados no sistema.

“Atualmente, cerca de 34% dos alimentos produzidos na América Latina são desperdiçados, enquanto mais de 77 milhões de pessoas sofrem de doenças relacionadas a alimentos todos os anos. Esses problemas podem ser melhorados com a aplicação de blockchain em toda a cadeia alimentar”, disse Martin Hagelstrom, líder de IBM Blockchain para a América Latina.

De acordo com o especialista, a plataforma fornece altos níveis de segurança e transparência em todas as transações realizadas pelos usuários com qualquer um de seus stakeholders e consumidores finais, o que garante a rastreabilidade dos produtos em cada ponto da cadeia.

A Food Trust é uma das maiores redes de blockchain não criptográficas em produção atualmente. Na América Latina, vários produtores e empresas do agronegócio adotaram a solução para rastrear produtos do campo até a mesa. Para mais informações, visite ibm.com/food.

Agricom e S4

A chilena Agricom, por exemplo, produz e exporta anualmente 98 mil toneladas de abacates, laranjas, maçãs e limões, entre outros frutos, para os Estados Unidos, Europa, Ásia, América Central e América do Sul.

Com o IBM Food Trust, a empresa pode compartilhar informações sobre a produção em suas seis plantas e proporcionar maior confiança aos consumidores e parceiros, além de reduzir o desperdício em todas as fases da produção e distribuição.

“Na Agricom, inovamos constantemente para trazer frutas frescas para a mesa dos consumidores em todo o mundo. A incorporação do blockchain para a rastreabilidade é mais um passo no caminho da excelência em qualidade que estamos percorrendo”, diz Francisco J. Martínez, gerente assistente de TI da Agricom.

Já a S4, uma startup dedicada à criação de tecnologia para reduzir o risco na produção agrícola causado pelos efeitos do clima, incorporará a tecnologia blockchain em seu produto S4Go para localização geográfica dos lotes e suas informações técnicas em tempo real.

A agtech visa colaborar com os produtores com monitoramento de índice vegetativo por meio de inteligência artificial na análise dados a fim de otimizar a gestão em tempo real das lavouras.

“Graças à tecnologia, é possível rastrear, proteger e garantir transparência na localização e no desenvolvimento das colheitas. Isso também possibilita uma certificação no futuro, uma vez que o S4Go garante a imutabilidade das informações, bem como interpretação e validação das informações fornecidas pelo produtor”, Mariano Tamburrino Co-Fundador e COO da S4.

Produção e desperdício

Segundo a Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO), 14% da produção agrícola mundial vem da América Latina e estima-se que até 2028 a região responderá por mais de 25% das exportações globais de produtos agrícolas e de pesca.

Apesar disso, o Banco Interamericano de Desenvolvimento estima que 127 milhões de toneladas de alimentos são desperdiçadas anualmente na América Latina, o equivalente a um terço do que a região produz no mesmo período.

AUTOR:

Daniel Azevedo Duarte

Daniel Azevedo Duarte é editor-chefe do AgEvolution do Canal Rural, Mestre em Jornalismo (UCM/USP), MBA em Agro (FGV) e entusiasta da inovação no agro. Também é professor em Comunicação no Agro na PUC de Campinas e correspondente de publicações internacionais sobre o setor.

Leia Mais:

Choque: agtech capta R$ 29 mi para eletrocutar ervas daninhas

Solução elimina defensivos químicos em aplicações manuais e está sendo adaptada para tratores

SAIBA MAIS

Sinal verde: aceleradora busca startups para inovação com cannabis

The Green Hub tem inscrições abertas para debate, convocatória e rodada de investimento sobre soluções disruptivas para o produto

SAIBA MAIS

Agtech brasileira é convidada ao Fórum Econômico Mundial

Mariana Vasconcelos, fundadora da Agrosmart, participa de dois painéis sobre sustentabilidade em Davos

SAIBA MAIS

Show Rural Digital terá hackathon e investidores anjo

Tradicional evento da Coopavel amplia área destinada à inovação, que contará com 150 expositores, Fórum e outras atrações

SAIBA MAIS