10 abril 2019

Conheça os robôs que vão monitorar as prateleiras do Walmart

Máquinas da Bossa Nova Robotics serão responsáveis por fazer o inventário das lojas

COMPARTILHE:

bossa nova robotics

0

Muito se fala sobre como o Blockchain e tecnologias similares são revolucionárias na maneira como elas permitem um controle maior sobre a origem dos produtos ao longo da cadeia produtiva. Mas quando esses produtos chegam às prateleiras dos mercados a situação fica complicada, já que a manutenção do inventário depende da ação humana. Agora, a rede Walmart anunciou uma expansão nas tecnologias aplicadas em suas lojas, e a principal é a ampliação do uso de robôs responsáveis justamente por escanear as prateleiras.

O uso das máquinas, criadas pela startup americana Bossa Nova Robotics, começou em 2017, mas estava restrito a apenas 50 lojas. Agora, poderão ser vistos em muitas unidades da rede. Eles possuem sensores capazes de identificar exatamente quais produtos estão nos lugares certos – e quais estão faltando, usando uma mistura de robótica e inteligência artificial. O contrato prevê que os robôs façam o inventário três vezes ao dia.

A novidade tem suas limitações, no entanto. “Nossos robôs não têm mãos, o que os impede de recolocar os produtos nas prateleiras”, diz o cofundador Sarjoun Skaff, em entrevista ao site Tech Crunch. Segundo ele, a principal vantagem é reduzir o tempo que os funcionários de carne e osso perdem com o tedioso trabalho de verificar o inventário. “Sabendo onde estão os problemas, os colaboradores podem acelerar o processo de estocar as prateleiras e passar mais tempo com seus clientes”, afirma.

O anúncio do Walmart é visto como uma resposta às constantes inovações feitas pela Amazon, cujo modelo de negócios têm afetado de maneira profunda a maneira como as pessoas fazem compras, e os supermercados tradicionais têm sofrido muito.

Leia Mais:

Burger King começa a vender o Rebel Whopper

Hambúrguer feito de plantas já está disponível em 75 unidades da rede

SAIBA MAIS

Corrida pela inovação no Oeste Baiano

Numa maratona de 54h de imersão para construir projetos e pensar diferente, o que se viu na dinâmica em LEM foi uma busca frenética em atender demandas e gargalos do setor.

SAIBA MAIS

Agtechs e food techs entre as 25 melhores startups segundo o LinkedIn

Fintechs dominam o ranking, mas há empresas do agro em destaque na lista Top Startups

SAIBA MAIS

L’Oréal e Sebrae buscam startups com soluções para matérias-primas

Programa de aceleração prevê investimentos de até R$ 150 mil

SAIBA MAIS